Como acabar com o mau cheiro das axilas e dos pés

Elda 31 de janeiro de 2013 0

Saiba como minimizar os problemas dos odores das axilas e dos pés, com algumas dicas que valem a pena experimentar

*/ ?>
É comum as pessoas exalarem um odor desagradável da região das axilas, após ocorrer o suor nesses locais. Isso ocorre porque esse odor é causado pela ação de bactérias ali presentes, e nos pés, a sudorese excessiva é a causa desse problema que é mais comum do que imaginamos.

Muitas pessoas sofrem com esse problema, é desconfortável e dá aquela sensação horrível de estar exalando aquele odor “mau cheiroso”. Mas, temos a solução para se livrar desse incômodo que agora é passado.

axilas5As glândulas sudoríparas estão espalhadas por todo corpo (pele) e são responsáveis pela produção do suor, tendo como sua principal função regular e manter a temperatura do corpo que deve permanecer em torno de 36,5º.

Dois tipos de glândulas sudoríparas existem: as écrinas e as apócrinas. As écrinas estão distribuídas pela superfície total do corpo desde o nascimento e têm função termorreguladora. O suor eliminado pelos poros é  basicamente constituído por água e alguns sais que não se decompõem. Por isso, praticamente não exalam nenhum cheiro.

Axilas

As apócrinas, desenvolvem-se em algumas regiões do corpo: couro cabeludo, axilas, área genital, ao redor dos mamilos. O suor que é eliminado através dos poros, além de água e alguns sais, contém restos de células e do metabolismo que podem produzir odores desagradáveis quando expostos à ação de bactérias e fungos, em ambientes em que calor, umidade e falta de luz sejam predominantes.

Chamamos de bromidrose esse odor devido à ação de bactérias e leveduras que decompõem o suor e os restos celulares.

Nas axilas: bromidrose axilar – popularmente conhecida como cê-cê;

Nos pés: bromidrose plantar – vulgo chulé.

O sintoma característico da bromidrose é o mau cheiro nas axilas e nos pés, pois o suor está infectado por micro-organismos.

Pés

Nos pés, quando a sudorese é muito grande, além do cheiro desagradável, podem surgir sinais de maceração e descamação da pele.
pés

Quem tem esse problema, uma dica é escolher bem seus alimentos, pois existem alguns (cebola, alho, pimentas) que aumentam a proliferação, intensificando
seus sintomas, além da ação dos micróbios, diabetes, alcoolismo,  alguns antibióticos e certos hormônios podem alterar o odor da transpiração, atribuindo-lhe características peculiares e desagradáveis.

Tratamento

Para saber como tratar, primeiramente tem que haver o diagnóstico, descobrir a causa para ter o tratamento adequado, eliminando ou amenizando assim o problema. Qualquer que seja ela, porém, é fundamental promover a higiene cuidadosa da pele, especialmente da pele das mãos, dos pés e das axilas, uma vez que a sudorese é mais abundante nessas regiões, porque nelas está concentrado número maior de glândulas sudoríparas. O objetivo de tal medida é restringir ao máximo as condições de proliferação dos micro-organismos que conferem mau cheiro ao suor.

Pode-se também utilizar produtos de higiene como desodorantes antitranspirantes, que controlem a produção excessiva de suor, assim como prescrever medicamentos com ação bactericida, fungicida  e antimicótica. O tratamento cirúrgico é uma solução terapêutica raramente utilizada. Na verdade, ele não tem por objetivo a cura da bromidrose, mas, sim, controlar a transpiração excessiva nas áreas de maior risco.

Recomendações

  • Atenção toda especial à higiene pessoal. Seque bem a pele depois do banho, especialmente a pele das axilas e entre os dedos dos pés. Use um secador de cabelo, temperatura morna, para eliminar a umidade (se for necessário), porque essa umidade é que pode favorecer a proliferação de micro-organismos;
  • Depilação sempre: os pelos aumentam o mau cheiro.
  • Se você fuma, pare de fumar;
  • Roupas, meias, calcinhas e cuecas devem ser trocadas diariamente. Existem produtos que ajudam a eliminar os odores durante a lavagem;
  • Use preferencialmente sabonetes antissépticos e aos desodorantes antiperspirantes;
  • Evite as roupas de tecido sintético, especialmente as meias. Sempre que possível, escolha roupas de puro algodão;
  • Os sapatos devem ser guardados em lugares ventilados e, prefira os calçados abertos e fabricados com matérias-primas naturais aos fechados e produzidos com material sintético;
  • O indicado é procurar um dermatologista para diagnosticar e dar o tratamento adequado.

Aqui vão algumas receitinhas caseiras que poderão ajudá-las a amenizar o problema.

Receita 1

1 colherinha das de chá de bicarbonato de sódio
50 ml de água
50 ml de álcool
Essência, se quiser (acho bom evitar)

Faça uma mistura e passe nas axilas.

Receita 2

1 colher de sopa de leite de magnésia(você encontra em qualquer farmácia)
1 colher de sopa de água.
Mistura tudo, pegue um algodão e umedeça o mesmo nessa mistura. Agora passe na axila e deixe secar.
Após seco passe seu desodorante como de costume.
Passe essa mistura antes do desodorante e continue até você sentir q acabou aquele mau cheiro na axila.
Geralmente em 3 dias já acaba mas se sentir q ainda persiste continue passando até acabar o cheiro.

Se tiver algum tipo de reação ou sentir algum desconforto, pare imediatamente de passar.

A água oxigenada (peróxido de hidrogênio, H2O2) tem a função básica de matar microorganismos patogênicos como bactérias, vírus, etc. É comumente usada para colocar em feridas, para desinfectá-las,  sendo, também, a substância química básica que constitui o agente ativo do nosso sistema imunológico.

Pode-se diminuir o crescimento dessas bactérias passando-se água oxigenada comum (de 10 volumes) nas axilas, o que irá diminuir sensivelmente o cheiro desagradável vindo dessa região (pode dispensar o uso de desodorante).

Experimentem, tenho certeza  que aprovarão as dicas, mas nunca se esqueçam, procurem um médico se o caso for mais grave e persistirem os sintomas.